SP: 13/11/17 – 12h01

Terremoto no Irã e no Iraque deixa mais de 300 mortos

Da Redação

Prédio danificado é visto após terremoto em província de Kermanshah, no IrãMais de 300 pessoas morreram no Irã em consequência de um terremoto de magnitude 7,3 que atingiu o país no domingo, relatou a mídia estatal, e agentes de resgate estão procurando nesta segunda-feira dezenas de pessoas soterradas na área montanhosa afetada pelo tremor. Ao menos seis pessoas também morreram no Iraque.

A televisão estatal iraniana disse que mais de 336 pessoas perderam a vida no país, e ao menos 3.950 ficaram feridas. Autoridades locais disseram que o saldo de mortes aumentará à medida que as equipes de busca e resgate chegarem a áreas remotas do país.

O terremoto foi sentido em várias províncias do oeste iraniano, sendo a mais atingida Kermanshah, que anunciou três dias de luto. Mais de 236 das vítimas estavam no condado de Sarpol-e Zahab, em Kermanshah, situado a cerca de 15 quilômetros da fronteira com o Iraque.

A TV estatal iraniana disse que o tremor causou grandes danos em alguns vilarejos com casas feitas de tijolo de barro. Agentes de resgate estão trabalhando para encontrar sobreviventes sob edifícios desmoronados.

O sismo também desencadeou deslizamentos de terra que atrapalham os esforços de resgate, disseram autoridades à TV oficial. Ao menos 14 províncias do Irã foram afetadas, segundo a mídia do país.

O líder supremo do Irã, aiatolá Ali Khamenei, ofereceu seus pêsames nesta segunda-feira, exortando todas as agências do governo a fazerem tudo que puderem para ajudar os afetados.

O Instituto Geológico dos Estados Unidos disse que o terremoto teve uma magnitude de 7,3. Uma autoridade meteorológica do Iraque estimou a magnitude em 6,5, com epicentro em Penjwin, na província de Sulaimaniyah, situada na região do Curdistão e próxima da principal passagem de fronteira com o Irã.

Autoridades de saúde curdas disseram que ao menos seis pessoas morreram no Iraque e que no mínimo 68 ficaram feridas. Autoridades locais e de saúde iraquianas disseram que a área mais prejudicada foi o distrito de Darbandikham, próximo da divisa com o Irã, onde ao menos 10 casas desabaram e o único hospital foi gravemente danificado.

O tremor foi sentido até em Bagdá, no sul iraquiano, onde muitos moradores correram para fora de suas casas e prédios altos quando vibrações sacudiram a capital.

Cenas semelhantes foram vistas em Erbil, a capital do Curdistão, e em outras cidades do norte do Iraque próximas do epicentro.

Várias cidades do Iraque e do Irã ficaram sem eletricidade, e o medo de tremores secundários levou milhares de pessoas dos dois países às ruas e aos parques apesar do tempo frio.