Com cartazes coloridos, panelas e gritos, dezenas de milhares de pessoas se reuniram no centro de Londres para protestar contra o posicionamento do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, sobre mudanças climáticas, refugiados e mulheres.
Os organizadores estimaram que mais de 80.000 pessoas compareceram em Londres na manifestação contra a primeira visita oficial de Trump ao Reino Unido como presidente, e outros protestos eram esperados nas principais cidades do país.

“Trump representa tudo que eu odeio: racismo, intolerância, misoginia, xenofobia. Como uma mãe de meninas, eu quero mostrar que ele não pode tratar as mulheres do jeito que trata”, disse Diana Yates, de 67 anos, conforme manifestantes vibravam e motoristas buzinavam em apoio.

“Não é só que ele fez comentários sobre as mulheres, as políticas dele têm sido muito divisoras. Nós queremos assumir uma posição, mas também queremos unir o máximo de pessoas que podemos”, disse à Thomson Reuters Foundation Aisha Ali-Khan, organizadora da marcha de mulheres de Londres.

Manifestantes carregavam cartazes com os dizeres “Dump Trump” (Jogue fora o Trump) e “Nossos direitos não estão disponíveis e nem estamos nós”, enquanto outros cantavam “Trump está indo para casa, Trump está indo para casa, ele está indo”, em referência a uma popular música de futebol inglesa.

Mais cedo, ativistas inflaram um boneco de seis metros do lado de fora do Parlamento, representando Trump como um bebê laranja.

O Reino Unido considera seus laços com os Estados Unidos, que chama de relacionamento especial, como elemento-chave de sua política externa e a primeira-ministra britânica, Theresa May, tem cortejado Trump antes de deixar a União Europeia.

Mas, muitos britânicos veem Trump como cruel, volátil, não confiável.

“É importante protestar porque o sr. Trump tem opiniões erradas e não está certa a maneira como ele trata as mulheres. É injusta e não é igualitária”, disse Beatrice Carrell, de 10 anos, que foi protestar junto com sua mãe Jilly e irmã mais velha, Scarlett.