SP: 7/05/17 – 21h12

Corinthians garante primeiro título em Itaquera

Da Redação

00994398-1024x681

Maior artilheiro de Itaquera, Romero marcou o último gol do Corinthians no Paulistão (foto: Fernando Dantas)

O Corinthians é a primeira força do Estado de São Paulo. Neste domingo, o antes contestado time dirigido por Fábio Carille contrariou de vez as análises de quem o via abaixo dos rivais Palmeiras, Santos e São Paulo em 2017. Empatou por 1 a 1 com a Ponte Preta, adversária que havia derrotado por 3 a 0 na semana passada, e sagrou-se campeão paulista em sua centésima partida em Itaquera. Os gols foram do atacante paraguaio Ángel Romero e do zagueiro Marllon.

A supremacia do Corinthians no torneio estadual também é histórica. Com mais uma conquista, o clube do Parque São Jorge passou a contabilizar 28, bem à frente de Palmeiras (22), Santos (22) e São Paulo (21). De quebra, arrecadou os R$ 5 milhões do prêmio oferecido pela Federação Paulista de Futebol (FPF) – a Ponte receberá R$ 1,650 milhão pelo vice-campeonato –, importantes em época de crise financeira.

O Corinthians só terá pouco tempo para comemorar. O campeão paulista será colocado à prova em outras duas competições ainda nesta semana. Irá a Santiago para enfrentar a Universidad de Chile na quarta-feira, pela Copa Sul-Americana – ganhou o jogo de ida por 2 a 0. E, no sábado, atuará contra a Chapecoense outra vez em Itaquera, onde ganhou o seu primeiro título, pela rodada inaugural do Campeonato Brasileiro.

Veja abaixo o vídeo dos melhores momentos do jogo

PRIMEIRO TÍTULO EM ITAQUERA

A conquista do Campeonato Paulista serviu também para o Corinthians acabar com as gozações sobre o seu rendimento em jogos decisivos disputados em Itaquera. Após eliminar Botafogo-SP e São Paulo em sua casa, o time de Fábio Carille selou a campanha vitoriosa diante da Ponte Preta no centésimo jogo que disputou no estádio construído na Zona Leste paulistana.

O primeiro título conquistado em Itaquera – justamente diante da Ponte, vítima na final do histórico Campeonato Paulista de 1977 – comprova a força do Corinthians em sua arena. Dos 99 jogos anteriores realizados lá dentro, o clube venceu 69, empatou 23 e perdeu somente sete. Haviam sido 184 gols marcados e 59 sofridos.

Mesmo com esse retrospecto, o Corinthians ganhou a fama de não conseguir avançar como mandante em competições de mata-mata. As eliminações em casa diante de Palmeiras (Campeonato Paulista de 2015), Guaraní-PAR (Copa Libertadores da América de 2015), Santos (Copa do Brasil de 2015), Grêmio Osasco Audax (Paulista de 2016), Nacional-URU (Libertadores de 2016) e Internacional (Copa do Brasil de 2017) não foram perdoadas pelos rivais.

“Encaramos essa derrota para o Inter com bastante naturalidade. Tinha que ser assim. Você perde na quarta-feira, mas quinta-feira é outro dia. A vida segue. Falam muito das nossas eliminações dentro da arena, mas muito pouco se fala das classificações. É mais fácil falar do que é ruim. Comigo no comando, por exemplo, passamos pelo Fluminense na Copa do Brasil do ano passado, em um jogo bastante difícil”, argumentou o técnico Fábio Carille, à época da obtenção da vaga para a final diante da Ponte.

Hoje, com o título paulista assegurado, já era – não há mais motivo para falar das quedas do Corinthians em Itaquera, arena que abriu a Copa do Mundo de 2014 e recebeu também os Jogos Olímpicos de 2016.

Entre essas duas competições internacionais, em 2015, o Corinthians já havia levantado um troféu no estádio. A conquista do Campeonato Brasileiro foi comemorada com uma contundente goleada por 6 a 1 sobre o rival São Paulo, porém sacramentada na rodada anterior, com um empate por 1 a 1 com o Vasco, em São Januário.