SP: 11/01/18 – 8h

Candidatura de Maia à Presidência pode ser lançada em convenção do DEM

Da Redação

Presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, durante reunião no Palácio do Planalto, em BrasíliaA candidatura do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), à Presidência da República pode ser lançada já no dia 28 de fevereiro, durante a convenção do partido, disse à Reuters o líder do DEM na Câmara, Efraim Filho (PB).

Segundo Efraim, a data não está totalmente definida ainda, mas a convenção é o momento mais provável.

“A candidatura é uma realidade. O momento ainda não está totalmente definido, mas a convenção é o local ideal, com todo partido reunido. A pré-candidatura está na rua já”, disse.

A convenção do DEM estava marcada para o dia 6 de fevereiro. Foi mudada para o final do mês para atender a um pedido de Maia, que gostaria de ver a reforma da Previdência aprovada na Câmara antes de anunciar sua candidatura formalmente. A votação está prevista para 19 de fevereiro.

Desde o ano passado, o DEM prepara o partido para uma candidatura própria. Alguns nomes, como o do senador Ronaldo Caiado (GO) chegaram a ser lembrados, mas Maia -que inicialmente chegou a dizer que “sabia o seu tamanho” e não teria condições de ser candidato à Presidência- acabou por se tornar a melhor alternativa do DEM.

Nas últimas pesquisas eleitorais, o presidente da Câmara, pouco conhecido fora do circuito Rio de Janeiro-Brasília, aparecia com apenas 1 por cento de intenções de voto.

“A candidatura do Rodrigo não é personalista, é um conceito. E vai crescer o conceito de candidatura de centro, agregadora, para unificar o país”, disse Efraim.

Maia divide com o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, a tentativa de se ter uma candidatura única da base do governo Temer. Os dois disputam ainda a liderança na aprovação da reforma da Previdência que, avaliam, permitirá o próximo governo ter mais fôlego para investimentos.

Em entrevista à Reuters, o ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, afirmou que o governo pretende ver sua base unificada em uma única candidatura que defenda o governo de Michel Temer, e citou Meirelles e Maia como candidatos viáveis.

Nas próximas semanas, o presidente da Câmara pretende organizar uma agenda de viagens para se tornar mais conhecido.